O executivo sucede John Thomas, que, depois de 20 anos como chefe deste distribuidor europeu, decidiu aposentar-se e Junte-se ao Conselho de administração.

TSE Europarts Søren drewsen, ceoA nomeação de Søren Drewsen como novo CEO da Europarts TSE, Distribuidor produtos que na Europa, com sede em Copenhaga (Dinamarca), será efectiva a partir de 1 de agosto, quando substituir o atual gerente, John Thomas, que irá juntar-se a diretoria do atacadista escandinavo e permanecerá acionista, juntamente com o proprietário da maioria do Capital FSN.

Bo Rygaard, Presidente do Conselho de administração do TSE Europarts, agradeceu o trabalho de John Thomas para a empresa para converter o "líder na distribuição de produtos na Europa e embora lamente sua decisão, respeitá-lo totalmente, e sinto-me ao mesmo tempo" feliz ser incorporado ao Conselho de administração, assegurando-se de que desde que o novo CEO tem sem complicações".

Søren Drewsen, engenheiro sênior da Universidade de Copenhague e um MBA da Universidade de Stanford, traz ampla experiência em gestão executiva de diferentes estruturas de operações de propriedade e de indústrias multinacionais e se junta ao grupo do TSE como Vice-Presidente e gerente geral do grupo e chefe do norte da Europa no grupo Icopal/IMC.

Europarts TSE sede DinamarcaComo o novo executivo observado, "Estou muito impressionado com o desenvolvimento que o grupo do TSE teve nos últimos quinze anos e animado por se juntar a esta empresa. Espero levar a empresa para a próxima fase de crescimento e atender a estratégia acordada".

Em particular, o atacado estruturar a sua actividade em cinco divisões de produto: soluções ProAV e sinalização digital; produtos de POS e auto - ID; vídeo-vigilância e segurança; peças de reposição e acessórios para computadores, impressoras e telefones celulares, bem como para entretenimento em casa, com um total de 300 diferentes marcas.


Você gostou deste artigo?

Assine a nossa feed RSS e você não vai perder nada.

outros artigos ,
por • 12 de junho de 2017
• Seção: negócio